Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


destaque / História /


Publicada em: 31/12/2014 20:03 - Atualizada em: 01/01/2015 08:35
O que se passou em Lavras nos dias 31 de dezembro desde 1814
A equipe do Jornal de Lavras foi longe e buscou tudo que foi registrado de fato histórico nos dias 31 dos dezembros desde 1814 até o dia de hoje

Imagem ilustrativa

 

WhatsApp do Jornal de Lavras: (35) 9925-5481

O ano de 2014 acaba em poucas horas, ele vai virar passado e, para muitos, será sempre lembrado, já outros farão questão de esquecê-lo. O último dia do ano é um dia de relembrar o que passou nos 365 dias, mas o Jornal de Lavras fez uma coletânea sobre os dias 31 de dezembro, uma coletânea de registros históricos, os dias 31 dos dezembros de outros anos.

31 de dezembro de 1814. Os dados estatísticos do Império do Brasil, publicados em dezembro de 1814 sobre as lavras de ouro em exploração em Minas Gerais, no arraial das Lavras do Funil, existiam apenas 2 lavras de ouro, com 14 operários e faiscadores, e estavam em pleno funcionamento.

31 de dezembro de 1834. O fiscal do curato de Varginha, Manoel Antônio Pereira, informa a Câmara da Vila de Lavras, que naquela localidade havia uma única escola de primeiras letras, dirigida pelo professor Antônio Teixeira da Silva Maciel, com 28 alunos do sexo masculino e 7 do sexo feminino.

31 de dezembro de 1844. De acordo com o mapa geral dos julgamentos proferidos pelo júri na província de Minas Gerais, no ano de 1844, no município de Lavras ocorreram 8 crimes, sendo 2 homicídios e 6 ferimentos e ofensas físicas. As sessões do júri foram realizadas nos períodos de 15 a 20 de abril e de 12 a 17 de dezembro, ficando assim as condenações: 3 a prisão simples, 3 a pagamento de multas e 1 a galés (trabalho forçado com correntes nos pés). Em toda comarca do Rio das Mortes ocorreram 13 crimes, sendo 8 em Lavras. No mesmo ano, no município de Bom Fim, comarca de Ouro Preto, ocorreram 8 crimes de homicídios, sendo 8 condenações a morte.

31 de dezembro de 1878. Morre em Guaratinguetá, interior de São Paulo, onde estava de viagem, o capitão Silvestre Alves de Azevedo, que foi juiz de paz em 1833 e presidente da Câmara Municipal.

31 de dezembro de 1884. Lavras estava nesta época em pleno progresso, possuía 4 igrejas: matriz de Sant'Anna, Nossa Senhora do Rosário dos Pretos (demolida em 1904), Santo Antônio e das Mercês. Mais de 400 casas, das quais, 60 recém construídas; um teatro, a Santa Casa de Misericórdia, Casa de Instrução Pública, fábricas, dentre elas destaca-se: de cerveja, de licores, velas, massas, doces e vinhos.

31 de dezembro de 1890. Em recenseamento realizado neste ano, a cidade de Lavras contava com uma população de 24.756 habitantes.Também neste dia, a Câmara pagou a Evaristo Alves o serviço de assentamento de postes e lampiões, em algumas ruas da cidade.

31 de dezembro de 1894. Neste ano, a iluminação da cidade esteve a cargo de João Batista de Souza. Foram, segundo relatório da Câmara Municipal, trocados vidros de lampiões, pintados vários postes e numerados.

31 de dezembro de 1895. Segundo relatório anual da Câmara Municipal, em 1895 a iluminação pública ficou a cargo de José Ângelo Coelho.

31 de dezembro de 1900. O município de Lavras possuía uma população de 36.810 mil habitantes nesta época; sua superfície territorial era de 3.600 mil quilômetros quadrados. Muitas cidades no entorno de Lavras eram partes integrantes do município de Lavras e sua população era computada como população lavrense. Também neste dia havia aparecido no município 22 jornais, sendo três deles publicados nos distritos de Perdões, "A Faísca" e "Cometa", e um em Nepomuceno, o "Zig Zag".

31 de dezembro de 1903. O serviço de iluminação pública durante o ano de 1903 foi arrematado por Antônio Justino Júnior.

31 de dezembro de 1904. Até esta data, apenas cinco funcionários burocráticos faziam parte da administração da cidade, são eles: Pedro Xavier de Moura, diretor da secretaria; Bernardino Maceira, administrador de obras; Trajano Alypio de Carvalho, oficial da secretaria; Affonso Custódio de Mesquita, comissário do distrito da cidade de Lavras; João Francisco da Silveira, contínuo da Câmara.

31 de dezembro de 1906. Segundo relatório publicado pela imprensa, a Agencia dos Correios em Lavras expediu neste ano 12.931 mil cartas; 2.051 mil bilhetes postais; 2.089 mil impressos; 2.539 mil jornais; 8 amostras; 4 manuscritos; 659 ofícios; 40 maços; 1.262 mil malas e 1.318 mil registrados. A Agencia recebeu durante o ano, segundo a imprensa, 11.844 mil cartas; 821 bilhetes postais; 635 impressos; 1.965 mil jornais; 12 amostras; 140 manuscritos; 446 ofícios; 40 maços; 1.400 mil malas e 2.931 mil registrados.

31 de dezembro de 1908. Segundo o relatório do Governo Mineiro, publicado no final de dezembro de 1908, das 132 fábricas de manteiga existentes em Minas Gerais, 8 funcionavam em Lavras, são elas: Gabriel Theodoro & Filho; João Ferreira & Irmão; Gabriel Bernardino Andrade; Manoel Ribeiro de Andrade; Custódio Rezende; Ernesto A. de Carvalho; Aureliano de Souza Pinto e Gastão da Costa Maia. Outro relatório também publicado foi o movimento da Estação Telegráfica Nacional em Lavras, que registrou o seguinte movimento em 1908: foram expedidos 117 telegramas, com um total de 1.696 mil palavras; 142 telegramas recebidos, com 2.080 mil palavras; 442 telegramas em transito, com 3.528 mil palavras. No total, foram registrados 701 telegrama com 7.304 mil palavras.

31 de dezembro de 1917. Nesta data era juiz de direito em Lavras o Dr. Sabino de Almeida Lustosa; juiz municipal, Dr. Augusto Torquato de Andrade; promotor de justiça, Dr. Luiz Duque da Rocha; delegado de polícia, Dr. Gil Augusto Silva; oficial do cartório do 1º ofício, José Máximo da Silva; oficial do 2º ofício, capitão Lázaro de Azevedo Mello; oficial do cartório do crime, João Theodoro de Souza; distribuidor e contador, tenente Francisco Andrade de Souza Pinto; escrivão de paz e oficial do registro civil, Domingos José de Toledo; oficiais de justiça, Azarias Vieira, alferes Francisco Lúcio do Carmo e Antônio Martiniano de Almeida; coletor estadual, capitão Nicésio da Costa Maia; coletor federal, capitão Augusto Alves de Azevedo; presidente da Câmara Municipal, Dr. João Augusto da Silva Penna; diretor da secretaria da Câmara, Pedro Xavier de Moura.

31 de dezembro de 1941. Segundo o relatório de "Indústria e Profissões" da Prefeitura Municipal, nesta época a cidade contava com dez advogados, são eles: Paulo Lourenço Menicucci, Nelson Alvarenga Figueiredo, Ulisses Mendonça, Tufy Haddad, Archimedes Camisão, Gil de Andrade Botelho, Silvino Homem de Carvalho, José Hermeto de Pádua Costa, Paulo Chagas Felisberto e José Maria de Castro Pinto.

31 de dezembro de 1943.AEscola Agrícola de Lavras obtém o título de "Menção Honrosa" do Ministério da Agricultura, para a Fábrica de Laticínios de sua propriedade, que classificou de "Primeira Qualidade" a manteiga da marca "Nova Agrícola". Também neste dia, a localidade de Itumirim, na condição de distrito de Lavras, teve sua elevação a condição de município, entrando em vigor a partir de 1º de janeiro de 1944.

31 de dezembro de 1948. Encontrava-se registrado nos arquivos da Prefeitura como "motoristas de praças", os seguintes cidadãos: José Narciso Filho, Manoel Alves, José Galdino de Lima, Antônio Duarte Filho, Nestor Silvestre da Silva, Rizieri Zanoni, Vinício Valentini, José Gaio, Iracelis de Medeiros, Newton de Assis Júnior, José Calixto Filho, Geiel Silva, Benjamin Gaio, Geraldo Evangelista dos Santos, Sebastião Torres, Francisco Alvarenga Filho, Sebastião Júlio de Souza, João Fagundes Neto, Miguel Godinho, João Botelho, Domingos Gaio, Olbers Magalhães, Joaquim Botelho Rezende, Adão Alves de Paula, Geraldo Alves de Paula, José Pequeno, Jorge Nogueira, Nelson Mesquita e Luiz José de Souza.

31 de dezembro de 1952. Até esta data, a Escola Superior de Agricultura de Lavras, ESAL, havia formado 309 engenheiros agrônomos. De 1911 a 1920, 42 formandos; de 1921 a 1931, 40 formandos; 1932 a 1942, 91 formandos; em 1943, 23 formandos; em 1944, 14 novos engenheiros; em 1945, também 14; em 1946, 16 novos engenheiros agrônomos; 1947, 13 formandos; em 1948, 12 novos profissionais; em 1949, 10 novos engenheiros; 1950, apenas 6; em 1951, 14 e em 1952, também 14 novos agrônomos.

31 de dezembro de 1956. Existiam 403 linhas telefônicas em Lavras nesta data, sendo que na rua Dr. Francisco Salles concentravam o maior número de aparelhos, 49, entre comerciais e residenciais.

31 de dezembro de 1959. Eleita a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação e Tecelagem de Lavras: presidente, Ciro da Silva; vice-presidente, Sebastião Alves de Oliveira; primeiro secretário, João Batista Fiorini; segundo secretário, Horácio Girardelli; primeiro tesoureiro, Eli Isidoro da Silva; segundo tesoureiro, José Antônio Filho; suplentes: Dilzon Rezende, José Alves Barbosa, João da Silva, Francisco Alves Barbosa, José Campos, José Ferreira de Figueiredo; conselho fiscal: Orlando Campos, Clarice de Assis Brasil, Adélia Vitorino; suplentes: Lino dos Santos Penoni Filho, José Otávio da Silva, Laet de Souza; delegados junto a Federação: Ciro da Silva, Eli Isidoro da Silva, João Batista Fiorini; suplentes: Sebastião Alves de Oliveira, Horácio Girardelli e João da Silva.

31 de dezembro de 1967. Nesta data a Banda de Música do 8º Batalhão de Infantaria da Polícia Militar do Estado de Minas, era regida pelo segundo tenente Edgar Saraiva e tinha como integrantes as seguintes pessoas: Welbe Teixeira, Sebastião Nascimento, Rafael Raimundo Rego, Alcides Sebastião de Andrade, Sebastião Luiz de Carvalho, Osório Pereira Neto, José Ribeiro Coimbra, Sebastião Carvalho Guimarães, Jarbas de Matos Filho, Genaro Afonso Pereira, Cirilo Messias, Antônio de Pádua Silva, Edílson Lino da Silva, Dalton Luiz Amaral, Antônio Diolino, Sebastião Vítor Pereira, Vítor Machado de Oliveira, Sebastião Lemos Botelho, Sebastião Lino da Silva, Lázaro Ribeiro da Silva, Braz Fernandes de Souza, José Carvalho Guimarães, Dervanil Esmeraldino, João Batista de Souza, Lay de Oliveira, Benedito Júlio, Devair de Oliveira, José Antônio Filho, Lélio Hermógenes da Silva, Élson de Souza, João Braz de Souza, Antônio César da Silva, Joaquim Inácio de Barros e Moacir de Melo.

31 de dezembro de 1975. No corpo clínico da Santa Casa de Misericórdia havia quinze médicos nesta data, são eles: Antônio G. de Faria, Antônio José de A. Santos, Antônio Leal, Antônio Sérgio Bonfim, Carlos Frederico Leite Corrêa, Célio de Oliveira, Hélio Haddad, Helton Ribeiro, Hugo Paiva Teixeira, José Carlos Loyola, Orlando Haddad, Paulo Henrique Celani, Pedro Menicucci Neto, Rêmulo Tourino Furtini e Sylvio Menicucci.

31 de dezembro de 1996. Neste ano, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, em Lavras havia 72.947 mil habitantes, sendo: 35.672 mil homens e 37.275 mil mulheres. Lavras ocupava o trigésimo terceiro posto de município mais populoso de Minas Gerais.

31 de dezembro de 2014. A equipe do Jornal de Lavras vem a público agradecer aos anunciantes e leitores, responsáveis por nos colocar numa posição de destaque na mídia eletrônica, conquistando mais de meio milhão de acessos por mês. Aproveitamos para desejar a todos um 2015 de paz, harmonia, saúde e prosperidade. Nos encontraremos nas primeiras horas do novo ano, em 2015 continuaremos a um click de você. 

 Jornalista Eduardo Cicarelli (Jornal de Lavras)   Clique aqui e comente no Facebook do Jornal de Lavras

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras