Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


cotidiano / Tecnologia /


Publicada em: 08/02/2014 21:18 - Atualizada em: 09/02/2014 13:55
Braskem estuda implantar unidade de pesquisa no LavrasTec
Uma multinacional brasileira que tem unidades nos Estados Unidos e Alemanha, além de 36 plantas no Brasil, enviou representantes a Lavras para conhecer o LavrasTec

Comitiva que recebeu os dois representantes da Braskem (no centro) em Lavras

 

Siga-nos no Twitter: @jlavras

Muitos lavrenses ainda não tem noção da importância da implantação do Parque Científico e Tecnológico de Lavras, o LavrasTec, ele equivale a uma Cofap, quando veio para a cidade na década de 80. Para se ter uma ideia, uma das empresas que já demonstrou interesse em montar em Lavras uma unidade de pesquisa no LavrasTec foi a Braskem.

A Braskem é uma empresa que ocupa a liderança na produção de resinas termoplásticas nas Américas. Com 36 plantas industriais distribuídas pelo Brasil, Estados Unidos e Alemanha, a Braskem produz mais de 16 milhões de toneladas de resinas termoplásticas e outros produtos petroquímicos por ano. A empresa é ainda a maior produtora mundial de biopolímeros, através de sua planta de PE Verde, que possui capacidade de produção anual de 200 mil toneladas de polietileno a partir de etanol de cana-de-açúcar.

A Braskem controla os três maiores polos petroquímicos do Brasil, localizados nas cidades de Camaçari (Bahia), Mauá (São Paulo) e Triunfo (Rio Grande do Sul). Além desses três complexos petroquímicos, a Braskem controla ainda o polo petroquímico de Duque de Caxias (Rio de Janeiro), que utiliza gás como matéria-prima ao invés de nafta. Suas unidades de petroquímicos básicos fornecem eteno e propeno para as unidades de polímeros da companhia localizadas na região. A Braskem produz ainda outros produtos químicos, tais como benzeno, butadieno, tolueno, xileno e isopreno. Estes compostos são vendidos principalmente para empresas fabricantes de produtos químicos.

A Braskem pertence ao grupo Odebrecht. A Odebrecht é uma organização de origem brasileira composta por negócios diversificados, com atuação e padrão de qualidades globais. Por meio de suas empresas líderes, a Odebrecht atinge os setores de Engenharia e Construção, Investimentos em Infraestrutura e Energia, Indústria e Instituições Auxiliares.

Dois representantes da Odebrecht, Ana Paiva e Zolder Stekhardt, estiveram em Lavras no dia 30, para reunião com a Direção Executiva da Universidade Federal de Lavras (Ufla) e do Parque Científico e Tecnológico. Os visitantes são responsáveis pela área de Desenvolvimento de Mercado da empresa.

Eles foram recebidos pelo reitor José Roberto Scolforo; pela vice-reitora, professora Édila Vilela de Resende Von Pinho; pelo pró-reitor de Pesquisa, professor José Maria de Lima; pelo assessor do reitor para Assuntos Interinstitucionais, professor Antônio Nazareno Mendes; pelo assessor de Inovação e Empreendedorismo da Ufla, professor Wilson Magela Gonçalves; pela gerente da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (Inbatec), Manuela Botrel e gestores em Ciência e Tecnologia do Lavrastec, Claudinei Fernandes, Ludmila Aquino e Vanessa Trevisan.

O reitor José Roberto Scolforo apresentou um panorama da instituição, sobretudo das iniciativas de apoio à inovação, empreendedorismo e proteção intelectual. Ele comentou sobre o desejo de que o LavrasTec seja constituído tanto por empreendimentos gerados a partir de pesquisas realizadas na Ufla quanto por centros de pesquisa e desenvolvimento de empresas já consolidadas. Essa seria uma das bases para a transformação de Lavras em centro de excelência em tecnologia e para consolidar a Ufla no cenário internacional: "Temos que buscar evoluir e, para isso, é necessário inovar e criar parcerias", resumiu.

O representante da Odebrecht, Zolder Stekhardt, falou sobre os negócios do grupo, que produz polietileno, polipropileno, PVC e outros polímeros, derivados de petróleo, que dão origem a outros produtos, como embalagens. A Braskem, segundo ele, é pioneira na fabricação do polietileno verde a partir da cana-de-açúcar. De acordo com ele, a visão de futuro e ambições das duas instituições tem muito em comum; e o grupo está bastante interessado em geração de conhecimento e pesquisa, ponto em que as perspectivas das instituições se encontram.

O professor Wilson Magela destacou que o momento é oportuno para uma parceria, apresentando o LavrasTec, sua missão e áreas de atuação. O Parque deverá impulsionar a promoção e o desenvolvimento da pesquisa e inovação tecnológica, atraindo empresas que invistam em pesquisa, desenvolvimento e inovação de produtos, processos e serviços inovadores e propiciando a geração de oportunidades em Lavras e região.

Após as apresentações, o grupo visitou o local onde está sendo construído o Parque, a Inbatec e o campus universitário.

 

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras