Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


cotidiano / Política /


Publicada em: 26/10/2013 23:25 - Atualizada em: 27/10/2013 11:24
Câmara vota, nesta segunda-feira, projeto de mudanças no IPTU de Lavras
IPTU de Lavras em 2014 terá isenção, redução e reajuste zero. Somente quem mora em casa de alto padrão terá reajuste

Prefeito Marcos Cherem anunciou as mudanças na cobrança do IPTU em coletiva de imprensa. Foto: Jornal de Lavras

 

Siga-nos no Twitter: @jlavras

 

Na segunda-feira os vereadores deverão votar um projeto de interesse da maioria dos lavrenses, é o projeto de lei que trata o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para o próximo ano. De acordo com a proposta do Executivo, os imóveis mais simples terão redução de imposto em relação ao ano passado, os de padrão médio terão reajuste zero, eles não terão nem mesmo a correção dos valores pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC).

A proposta do Executivo prevê, ainda, a isenção da tributação para aqueles que são inscritos no Cadastro Único do Governo Federal (CAD), são aqueles que tem renda mensal de até um quarto do salário mínimo per capta e que estejam cadastrados no Bolsa Família. Um exemplo: uma família de quatro pessoas, duas crianças, a dona de casa e o marido, que ganha um salário mínimo, ou um pouco mais, ficará automaticamente isento.

Traduzindo em números, isso quer dizer que: dos cerca de 33 mil imóveis construídos na cidade, mais de 15 mil terão redução de valores cobrados, outros 16 mil não terão reajuste no IPTU. A medida vai beneficiar cerca de 95% dos contribuintes.

Já os imóveis de alto padrão e de padrão luxo, como as edificações dos condomínios fechados, por exemplo, edificações que correspondem a cerca de 4,5% dos imóveis da cidade, terão os valores do IPTU corrigidos.

Em entrevista coletiva realizada esta semana na sala de imprensa da Prefeitura de Lavras, o prefeito Marcos Cherem disse que o IPTU estaria sendo tratado como ferramenta de justiça social, isso porque, segundo ele, "pessoas em fragilidade socioeconômica inscritas no CAD Único, não vão pagar nada da tributação. Aqueles que habitam imóveis de padrão popular ou baixo padrão, também terão uma redução, se considerarmos que não ouve correção inflacionária em relação ao ano em curso, isso corresponderá a uma queda média de 6%".

 

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras