Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


polícia /


Publicada em: 18/06/2011 19:29 - Atualizada em: 19/06/2011 12:46
Polícia Federal realizou operação "Ouro Branco II" na região de Lavras
O pesadelo do leite com soda caustica ronda a região, a Polícia Federal fez apreensões em Campo Belo, na operação "Ouro Branco II".

     

        Foto ilustrativa

 

Quer comprar, vender ou alugar um imóvel? O Jornal de Lavras tem CLICK IMOVEIS. Quer saber? Clique aqui.

Há pouco mais de três anos, cooperativas de leite de Minas Gerais se envolveram num escândalo nacional com adulteração de leite; a notícia ganhou a mídia de todo o país e até do exterior e tudo acabou com uma operação desencadeada pela Polícia Federal denominada "Ouro Branco".

Agora, para a surpresa dos consumidores, a Polícia Federal realizou a operação "Ouro Branco II", e prendeu 27 suspeitos por adulteração do leite numa cooperativa do Triângulo Mineiro, a Coopervale e a outra, bem próxima de Lavras, a Casmil, em Campo Belo.

Com apoio do Ministério Público Estadual (MPE) e do Ministério da Agricultura, cerca de 40 policiais cumpriram um mandado de busca e apreensão na unidade de Campo Belo  da Nova Mix Industrial e Comercial de Alimentos, fabricante do leite  Fazenda Mineira, e outro na Cooperativa dos Produtores de Leite de Leopoldina, na Zona da Mata, dona da marca Lac. Juntas, elas processam 500 mil litros de leite por dia.

Elas são acusadas de fazer uma mistura de leite com água, açúcar e soda caustica, segundo o delegado Marinho Rezende, chefe da área Fazendária da PF. A Polícia Federal quer saber se essa substância, que é usada para limpar tanques de processamento de leite, foi encontrada no produto com vista ao lucro, pois ela tem capacidade de reduzir a acidez do leite. Estas substâncias encontradas no leite, se em grande quantidade ou freqüência podem corroer o esôfago e causar gastrite, diarréia, náusea e vômitos. As substâncias foram encontradas no leite tipo UHT longa vida integral das duas empresas. São aguardados laudos para se ter certeza das misturas.

Na primeira operação "Ouro Branco", que envolveu laticínios de Minas e São Paulo, todo o leite impróprio foi trazido para Lavras, para a empresa SR, de tratamento de produtos químicos antes de ser descartado no meio ambiente.

Clique aqui e comente esta notícia no Facebook do Jornal de Lavras

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras