Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


polícia / Diversos /


Publicada em: 07/06/2011 08:48 - Atualizada em: 07/06/2011 15:15
Falsa bomba em Campo Belo mobilizou o Gate de BH, Bombeiros de Lavras e helicóptero da PM
Corre-corre em Campo Belo após um comunicado de que alguém iria colocar uma bomba no Demae daquela cidade.

     

         Foto ilustrativa: helicóptero Pégasus da Polícia Militar e policiais do Gate

 

O Jornal de Lavras tem CLICK EMPREGO. Quer saber? Clique aqui.

Um comunicado da existência de uma bomba num departamento municipal em Campo Belo mobilizou policiais do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais), da Polícia Militar de Belo Horizonte, um helicóptero e o Corpo de Bombeiros de Lavras.

A Central de Operações da PM de Campo Belo recebeu uma ligação às 8h50 da manhã de segunda-feira, dia 6, de uma mulher que alegou que teria ouvido seu irmão, que segundo ela se chamava Juninho, dizer que iria colocar uma bomba no Departamento Municipal de Água e Esgoto (Demae), no centro daquela cidade. Na ligação a denunciante disse que seu irmão estaria fazendo isso porque havia sido atendido com desdém pelo responsável do Demae.

A Polícia Militar se deslocou para o órgão municipal e, quando entraram, depararam com um embrulho na sala de recepção, ninguém sabia como ele havia aparecido naquele local, e isso reforçou a denúncia anônima na Central de Operações da PM. A primeira providência dos militares foi esvaziar o prédio e retirar os moradores vizinhos ao Departamento de Água e Esgoto. Depois a PM acionou o Corpo de Bombeiros em Lavras e o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), em Belo Horizonte, uma divisão especializada em desmontagem de artefatos explosivos.

O Gate chegou em pouco mais de uma hora, os especialistas se deslocaram para Campo Belo num helicóptero Pegasus, com capacidade para 7 pessoas. Os especialistas do Gate realizaram o tenso trabalho de abertura do pacote, com equipamentos sofisticados e abafadores de explosivos, equipamentos que diminui o poder de destruição de um artefato.

Mas, para a surpresa dos militares, a suposta bomba era uma caixa de suco. Os homens do Gate vasculharam o prédio e nada foi encontrado.

O trabalho dos policiais daquela cidade se concentrou então na identificação da pessoa que havia ligado para a Central de Operações. A ligação estava registrada no identificador de chamadas do telefone da Polícia Militar e descobriram, então, que a ligação havia sido realizada de dentro do Demae. A suspeita recaiu então em cima de uma atendente, a que usava o telefone no serviço de atendimento no momento da ligação. A moça foi levada pela Polícia Civil para prestar declarações.

Clique aqui e comente esta notícia no Facebook do Jornal de Lavras

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras