Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


variedade / Sons de Lavras /


Publicada em: 28/05/2011 22:24 - Atualizada em: 03/04/2014 10:45
SONS DE LAVRAS - Série Cecília Bravo (5 de 7): a opinião de uma musicista
Inovação, criatividade e estilo próprio, assim a musicista descreveu a banda Cecília Bravo nesta quinta reportagem da série.

     

         Professora Delva Emerich, uma referência da arte e da cultura em Lavras. Foto: Jornal de Lavras

 

Leia as reportagens anteriores da série Cecília Bravo clicando nos links:

 

Na semana da série Cecília Bravo, procuramos também ouvir a opinião sobre a banda de quem sabe fazer música, de pessoa abalizada que poderia falar sobre os músicos e suas criações. Então, para esta quinta matéria da série, a reportagem conversou com a professora Delva Emerich Portilho Tristão, uma musicista reconhecida.

Delva Emerich estudou música e canto lírico nos Estados Unidos, foi regente de diversos corais, como por exemplo, o Coral da Universidade Federal de Lavras, por 13 anos, e dos corais das igrejas Presbiterianas de Lavras; dirigiu o Coral do Combem e foi responsável pelo início do Coral da Casa da Cultura, onde ensaiou a ópera L'elisir d'amore, de Gaetano Donizetti. Ela foi professora de música e canto lírico no Instituto Presbiteriano Gammon, no Colégio Nossa Senhora de Lourdes, na CNEC, na escola estadual "João Batista Hermeto" e na escola cooperativa "Gralha Azul". Delva Emerich é uma pessoa que sempre esteve envolvida com a arte e a cultura.

A musicista já foi professora de canto do André Tideh e do Stéfano Luz, quando eles ainda eram crianças, e conhece o trabalho da banda. Por isso, pôde tecer vários comentários sobre os músicos e suas músicas.

Delva Emerich iniciou falando o quanto os integrantes são musicais, e que existem dois tipos de artistas: os que já nascem com o dom e aqueles que se fazem artistas, frutos de uma tecnologia que tudo fabrica. A diferença entre eles, é que o primeiro é músico em sua essência, o outro pode se tornar um grande técnico em música. E a regente completou dizendo que Cecília Bravo é composta por seis rapazes que nasceram com o dom e é justamente isso que chamou sua atenção ao conhecer o trabalho deles. "Eles têm uma intuição musical, uma criatividade que é diferente de outras bandas, eles não copiam de ninguém, são pessoais naquilo que fazem, têm um caráter individual e inovam em tudo, e isso caracteriza uma coisa boa. O artista nato é genial", disse.

A professora Delva destacou que, quando teve o primeiro contato com a banda, e este contato foi através de um vídeo, ela notou que eles eram muito diferentes, e cada um tinha características individuais que sobressaltavam no conjunto, características estas que deveriam ser preservadas. A regente explicou que, para perceber que algo ou alguém é especial, tem que causar impacto, tem que causar emoção, e quando ouviu a banda a primeira vez, foi exatamente isso que sentiu. Ela comentou que já viu muitos grupos musicais e que, inclusive, já foi julgadora de muitos, mas que ao ver Cecília Bravo, ela se viu diante de algo inédito.

Delva Emerich contou que, quando a banda se destacou fora de Lavras no programa de televisão e festivais que participou, ela fez questão de lembrá-los: "Eu não falei que vocês eram especiais e que têm um talento muito diferente?". Ela falou que voltou a lembrá-los desta fala quando foi publicada uma matéria no jornal Estado de Minas na época que gravaram o clipe do curta metragem "Pedaço de Papel", a qual trazia comentários muito positivos sobre a banda lavrense.

Questionada se este é um bom momento para o lançamento do CD, considerando a história da trajetória da banda Cecília Bravo, ela esclareceu que acha que as pessoas devem fazer algo quando tem vontade, e o efeito disso é o aprendizado. E completou dizendo que, em sua opinião, eles já estão amadurecidos, mas destacou que nem sempre o primeiro CD será o mais importante, e que eles já têm maturidade musical, inclusive, para entender isso. "Eles já sabem o que querem", completou.

A professora de canto lírico vai além em sua fala e chega a concluir que a banda Cecília Bravo não pode ser classificada como um estilo musical já existente, porque eles são únicos, tem um estilo próprio, o estilo musical Cecília Bravo. "Eles estão produzindo coisa nova, essa é a impressão", disse.

Ao final da conversa, ainda na presença da reportagem do Jornal de Lavras, Delva Emerich ouviu, pela primeira vez, a música Olhos Verdes e expressou sua opinião: "quando achamos um ponto em comum na canção com o que já existe em termo de música, eles já introduzem várias coisas que levam para outro caminho, e isso é muito interessante, é o que faz deles serem únicos".

Clique aqui e comente esta notícia no Facebook do Jornal de Lavras

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras