Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


cotidiano /


Publicada em: 29/10/2019 08:50 - Atualizada em: 29/10/2019 14:49
Por que Lavras não conseguiu o empréstimo junto à Caixa?
A reportagem do Jornal de Lavras conversou com o gerente da Caixa e com o Líder do Prefeito na Câmara Municipal

Agência da Caixa em Lavras. Foto: Google

 

  Jornal de Lavras:  (35) 9 9925.5481    @jornaldelavras     @jornaldelavras    @jlavras    

Durante a semana muito se falou de um empréstimo de R$ 11 milhões que seria obtido pela Prefeitura de Lavras junto à Caixa Econômica Federal (CEF) para a realização de obras consideradas de muita importância para Lavras, sobretudo no setor de mobilidade urbana. Acontece que o empréstimo não saiu e muito se especulou sobre isso nas redes sociais. Blogs da cidade e até um vereador disse em plenário que a Caixa recusou o empréstimo como forma de retaliação da retirada da folha de pagamento da Prefeitura de Lavras daquela instituição financeira e a transferência para outro banco. 

O Jornal de Lavras entrou em contato com o gerente da Caixa, Cláudio Mendonça, que explicou que a Caixa é um braço de apoio do Governo Federal para obras de natureza ao fomento e ao desenvolvimento sustentável. O Governo Federal disponibilizou um recurso, na ordem de R$ 2,9 bilhões, para ser destinados a obras nos municípios brasileiros.

O caso de Lavras, segundo o gerente Cláudio Mendonça, foi a demora na entrega da documentação, neste período os recursos federais esgotaram e não sobrou dinheiro para ser emprestado ao município de Lavras, que pretendia obter um empréstimo de R$ 11 milhões.

Sobre a troca de agência bancária da folha de pagamento da Prefeitura de Lavras, Cláudio disse que o que ocorreu foi uma transação comercial normal, a Prefeitura abriu um processo licitatório e um banco concorrente ganhou. Ele disse que jamais a Caixa agiria desta forma, "retaliando" a Prefeitura ou qualquer outro cliente.

Cláudio disse que a Caixa mantém um bom relacionamento com a Prefeitura de Lavras, que tem outros projetos em andamento e outros já concretizados, disse ainda que o fato foi o atraso na entrega da documentação, e somente isso.

A reportagem procurou então o vereador e líder do Chefe do Executivo na Câmara, Marcos Possato, que explicou. Segundo ele, a administração pediu um empréstimo que não foi conseguido porque três vereadores da oposição apresentaram sistematicamente emendas parlamentares e pedidos de vistas, o que atrasou o trâmite do projeto na Câmara e isso foi o que atrasou a entrega da documentação junto à Caixa. E com isso, ocorreu o que foi explicado pelo gerente da Caixa: os recursos federais destinados a empréstimos aos municípios brasileiros esgotaram e não sobrou dinheiro para ser emprestado para Lavras.

Segundo o vereador e líder do governo Marcos Possato, a solicitação do empréstimo foi submetida ao programa Finisa (Financiamento à Infraestrutura e Saneamento) da Caixa Econômica Federal (CEF) no dia 10 de junho. Cerca de dez dias depois, a Prefeitura de Lavras recebeu o parecer favorável. No dia 25 de junho, o Poder Executivo deu entrada com o projeto de empréstimo na Câmara Municipal para apreciação e votação dos vereadores.

No dia 26 de junho, segundo Possato, o projeto foi despachado para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), cujos membros são: Marcos Possato, presidente; Carlos Lindomar, relator, e Alessandro Furtado, membro. Com o intuito de agilizar a tramitação do Projeto de Lei e sabendo da importância e necessidade das obras para o município, os vereadores Marcos Possato e Alessandro Furtado emitiram um parecer favorável para votação em plenário.

No dia primeiro de julho, na reunião ordinária da Casa Legislativa, o vereador Carlos Lindomar disse, segundo Possato, que não emitiria o relatório da CCJ sem o parecer da Assessoria Jurídica da Câmara de Lavras e ainda solicitou documentos.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Evandro Oliveira Miranda, concedeu um intervalo de dez minutos  e, em seguida, manifestou que a documentação solicitada pelo vereador Lindomar já estava anexada ao projeto e no mesmo dia, durante a reunião, a Assessoria Jurídica da Câmara manifestou favoravelmente, como haviam manifestado os vereadores Possato e Alessandro.

Mesmo com toda documentação solicitada e o parecer favorável da Assessoria Jurídica, o vereador Carlos Lindomar pediu 20 dias, que é o prazo regimental, para se manifestar. Passados os 20 dias, o projeto voltou a discussão no dia 5 de agosto, dois meses depois de sua entrada na Câmara Municipal para ser votado.

Neste dia, na reunião ordinária, o vereador Carlos Lindomar, que já estava em poder do projeto há mais de um mês, pediu vista. No dia 12 de agosto, o vereador Carlos Lindomar entregou o projeto com uma emenda.

A vereadora Nastenka Georgina, a Nanah, então pediu vista a emenda do vereador Lindomar.

Neste mesmo dia, o vereador Marcos Possato alertou aos demais da importância da aprovação do projeto com urgência, pois Lavras corria o risco de perder os recursos para outras cidades, como Pouso Alegre, que pegou R$ 60 milhões; Sete Lagoas, (R$ 100 milhões), Montes Claros (R$ 80 milhões), além de Varginha e outras cidades que aproveitaram a oportunidade da facilidade dos recursos disponíveis pelo Governo Federal.

Mesmo com o alerta do vereador e líder Marcos Possato, a vereadora Nanah manteve o pedido de vista ao projeto. No dia 19 de agosto Nanah liberou a vista, mas apresentou uma emenda e o vereador Elias Freire Filho, o Lila, pediu vista neste dia, o vereador Marcos Possato voltou a falar sobre o prazo e falou também da importância das obras, que beneficiariam os moradores dos bairros Fonte Verde, Novo Horizonte, Serra Verde e região central de Lavras, mesmo assim, o vereador Lila manteve a vista.

No dia 26 de agosto o vereador Lila liberou a vista e apresentou uma emenda, porém, Lindomar pediu vista. 

Esgotados todas as possibilidades de pedir vista, o projeto teria que ser votado no dia 2 de setembro, neste dia as emendas foram rejeitadas e o projeto foi votado por 14 vereadores favoráveis e três contras: Lindomar, Nanah e Lila.

No dia 9 de setembro, em segunda votação, o projeto foi mais uma vez aprovado por 14 e rejeitado por três. No dia seguinte, dia 10, o projeto foi sancionado pelo prefeito José Cherem, porém, neste dia, a Prefeitura de Lavras foi informada que não havia mais recursos disponíveis do Finisa.

Segundo o vereador Possato, naquela semana surgiu um boato nas redes sociais de que a culpa por não ter conseguido o empréstimo era do prefeito José Cherem, que retirou a folha de pagamento da Caixa e a levou para o Bradesco. De acordo com o boato espalhado, a Caixa estava retaliando a administração municipal e consequentemente a população lavrense, que segundo Possato, foi a única prejudicada com a demora na votação do projeto.

O vereador Marcos Possato disse que o empréstimo de R$ 11 milhões seria usado para a construção do retorno operacional na BR-265, que favoreceria os moradores do bairro Fonte Verde; duplicação da ponte sobre o ribeirão da Água Limpa, no bairro Novo Horizonte; duplicação da passagem sob a linha férrea no bairro Centenário; passagem subterrânea sob a BR-265 para a proteção de pedestres e sobretudo das crianças que estudam na escola estadual Cinira de Carvalho e moram no bairro Pedro Silvestre e outros; abertura da avenida Sul-Norte; recapeamento de ruas centrais da cidade e substituição de lâmpadas convencionais por lâmpadas LED. 

Clique AQUI e comente no facebook do Jornal de Lavras

 
www.jornaldelavras.com.br 
A informação a um click de você
#jornaldelavras Eduardo Cicarelli Sabrina Cicareli

Leia também:

Seminário de Inovação e Empreendedorismo será realizado em Lavras Ciro Gomes vem a Lavras ministrar palestra para alunos do Curso de Direito da Ufla
   
Atleta lavrense Mariela de Abreu vence concurso de Artigos Científicos PM de Lavras prende casal de traficantes
   
Identificadas as vítimas do acidente na BR-265: é uma família de Lavras Uaitec de Lavras está oferecendo cursos gratuitos de qualificação profissional
.

Flashes de Notícias:

Novo colégio na cidade Evacuação de prédio por risco de desabamento
   
CEPs específicos por rua Burger King em Lavras
   
Descoberta de que jovem assassinada estava grávida - entrevista com a delegada Projeto de regulamentação do serviço de Mototaxista
.  

Blog Sabrina Cicareli:

Série Viajadamente no Chile - Parte 6 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 5 - Tour em Santiago
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 4 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 3 - Tour em Santiago
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 2 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 1 - Tour por Santiago
   

.

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras