Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


cotidiano / Meio Ambiente /


Publicada em: 23/10/2019 07:41 - Atualizada em: 23/10/2019 16:05
Ufla pesquisa a utilização da casca de tomate para produzir embalagem antioxidante
As pesquisas com embalagens no DCA visam atender às demandas de produtos cárneos, derivados do leite e frutas, considerados alimentos mais perecíveis

Doutoranda Laura Fonseca e professora Marali Vilela Dias, do DCA, responsáveis pela pesquisa

 

  Jornal de Lavras:  (35) 9 9925.5481    @jornaldelavras     @jornaldelavras    @jlavras    

Na Universidade Federal de Lavras (Ufla), diversos laboratórios de diferentes cursos têm buscado em fontes renováveis novas opções de embalagens biodegradáveis, sejam elas ativas, inteligentes ou blendas. Há mais de 13 anos, novas embalagens para alimentos têm sido alvo de diversas pesquisas no Laboratório de Embalagens do Departamento de Ciência dos Alimentos (DCA). Para a professora Soraia Vilela Borges, no futuro as embalagens deverão ser as "blendas ou compósitos ativos e inteligentes", ou seja, embalagens que trazem consigo diversas funções e materiais com propriedades antimicrobianas e resistência térmica, por exemplo.

As pesquisas com embalagens no DCA visam atender às demandas de produtos cárneos, derivados do leite e frutas, considerados alimentos mais perecíveis. "Esses produtos requerem embalagens convencionais mais caras, impermeáveis; então, se colocarmos um filme contendo substâncias livres ou encapsuladas, um sachê no interior da embalagem que tenha propriedades antimicrobiana e antioxidante, por exemplo, é possível diminuir o custo daquela embalagem que vai por cima e aumentar a vida útil daquele produto, garantindo também sua segurança nutricional", explica Soraia. A professora Marali Vilela Dias, que coordena juntamente com a professora Soraia o laboratório, ressalta que os estudos utilizam também a nanotecnologia. "A incorporação dessas nanopartículas contribui para reforçar esses materiais, melhorando suas propriedades e colaborando também para deixar essas embalagens mais eficientes em suas funções ativas ou inteligentes."

Uma das pesquisas desenvolvidas atualmente no DCA com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – Fapemig, desenvolve uma embalagem que utiliza a casca de tomate para tornar a embalagem antioxidante. "O objetivo deste trabalho é o reaproveitamento da casca de tomate, que é um resíduo da produção de molhos de tomate para a obtenção de um filme biodegradável e antioxidante.

A casca de tomate foi adicionada ao amido de mandioca e as embalagens foram obtidas pelo processo de extrusão", explica a doutoranda Laura Fonseca. A casca de tomate é rica em licopeno, um poderoso antioxidante responsável pela coloração avermelhada do tomate. "Nos testes iniciais, observamos que o filme com a casca de tomate obteve uma ação antioxidante muito boa e agora vamos aplicar essa embalagem em castanhas. "

As castanhas possuem problemas com a oxidação lipídica, que provoca a deterioração das propriedades do alimento (causando o chamado ranço). De acordo com Laura, o próximo passo da pesquisa é o teste da embalagem nas castanhas, para verificar o tempo de armazenamento e a ação antioxidante da casca do tomate.

Fonte: Ufla

Clique AQUI e comente no facebook do Jornal de Lavras

 
www.jornaldelavras.com.br
A informação a um click de você
#jornaldelavras Eduardo Cicarelli Sabrina Cicareli

Leia também:

Homem morreu afogado no rio Grande, em Ribeirão Vermelho Justiça condena empresa por morte de peixes em 2016 na Usina do Funil
   
Acidente envolvendo moto e carro deixou motociclista gravemente ferido em Lavras Lavras não terá retorno das aulas no dia 5 de outubro
   
Minas Consciente: Lavras retrocederá para a Onda Amarela Termina dia 30 o prazo para negociar débitos junto à Cemig sem juros
   
Trânsito na Ponte de Ferro, entre Ijaci e Itumirim, foi liberado nesta quarta-feira Governo Estadual anuncia início do retorno das aulas presenciais em Minas Gerais
.

Flashes de Notícias

.  

Blog Sabrina Cicareli:

Decoração da minha Kitnet Tudo de Bom no Os Mais Influentes Revista Elitte 2019
   
Tudo de Bom no Destaque Sales Pesquisa Lavras 2019 Série Viajadamente no Chile - Parte 7 - Valle Nevado
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 6 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 5 - Tour em Santiago
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 4 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 3 - Tour em Santiago
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 2 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 1 - Tour por Santiago
   

.

 

 

 

  Jornal de Lavras:  (35) 9 9925.5481    @jornaldelavras     @jornaldelavras    @jlavras    

Na Universidade Federal de Lavras (Ufla), diversos laboratórios de diferentes cursos têm buscado em fontes renováveis novas opções de embalagens biodegradáveis, sejam elas ativas, inteligentes ou blendas. Há mais de 13 anos, novas embalagens para alimentos têm sido alvo de diversas pesquisas no Laboratório de Embalagens do Departamento de Ciência dos Alimentos (DCA). Para a professora Soraia Vilela Borges, no futuro as embalagens deverão ser as "blendas ou compósitos ativos e inteligentes", ou seja, embalagens que trazem consigo diversas funções e materiais com propriedades antimicrobianas e resistência térmica, por exemplo.

As pesquisas com embalagens no DCA visam atender às demandas de produtos cárneos, derivados do leite e frutas, considerados alimentos mais perecíveis. "Esses produtos requerem embalagens convencionais mais caras, impermeáveis; então, se colocarmos um filme contendo substâncias livres ou encapsuladas, um sachê no interior da embalagem que tenha propriedades antimicrobiana e antioxidante, por exemplo, é possível diminuir o custo daquela embalagem que vai por cima e aumentar a vida útil daquele produto, garantindo também sua segurança nutricional", explica Soraia. A professora Marali Vilela Dias, que coordena juntamente com a professora Soraia o laboratório, ressalta que os estudos utilizam também a nanotecnologia. "A incorporação dessas nanopartículas contribui para reforçar esses materiais, melhorando suas propriedades e colaborando também para deixar essas embalagens mais eficientes em suas funções ativas ou inteligentes."

Uma das pesquisas desenvolvidas atualmente no DCA com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – Fapemig, desenvolve uma embalagem que utiliza a casca de tomate para tornar a embalagem antioxidante. "O objetivo deste trabalho é o reaproveitamento da casca de tomate, que é um resíduo da produção de molhos de tomate para a obtenção de um filme biodegradável e antioxidante. 

A casca de tomate foi adicionada ao amido de mandioca e as embalagens foram obtidas pelo processo de extrusão", explica a doutoranda Laura Fonseca. A casca de tomate é rica em licopeno, um poderoso antioxidante responsável pela coloração avermelhada do tomate. "Nos testes iniciais, observamos que o filme com a casca de tomate obteve uma ação antioxidante muito boa e agora vamos aplicar essa embalagem em castanhas. " 

As castanhas possuem problemas com a oxidação lipídica, que provoca a deterioração das propriedades do alimento (causando o chamado ranço). De acordo com Laura, o próximo passo da pesquisa é o teste da embalagem nas castanhas, para verificar o tempo de armazenamento e a ação antioxidante da casca do tomate.

Fonte: Ufla

Clique AQUI e comente no facebook do Jornal de Lavras

 
www.jornaldelavras.com.br
A informação a um click de você
#jornaldelavras Eduardo Cicarelli Sabrina Cicareli

Leia também:

Homem morreu afogado no rio Grande, em Ribeirão Vermelho Justiça condena empresa por morte de peixes em 2016 na Usina do Funil
   
Acidente envolvendo moto e carro deixou motociclista gravemente ferido em Lavras Lavras não terá retorno das aulas no dia 5 de outubro
   
Minas Consciente: Lavras retrocederá para a Onda Amarela Termina dia 30 o prazo para negociar débitos junto à Cemig sem juros
   
Trânsito na Ponte de Ferro, entre Ijaci e Itumirim, foi liberado nesta quarta-feira Governo Estadual anuncia início do retorno das aulas presenciais em Minas Gerais
.

Flashes de Notícias

.  

Blog Sabrina Cicareli:

Decoração da minha Kitnet Tudo de Bom no Os Mais Influentes Revista Elitte 2019
   
Tudo de Bom no Destaque Sales Pesquisa Lavras 2019 Série Viajadamente no Chile - Parte 7 - Valle Nevado
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 6 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 5 - Tour em Santiago
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 4 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 3 - Tour em Santiago
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 2 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 1 - Tour por Santiago
   

.

 

 

  Jornal de Lavras:  (35) 9 9925.5481    @jornaldelavras     @jornaldelavras    @jlavras    

Na Universidade Federal de Lavras (Ufla), diversos laboratórios de diferentes cursos têm buscado em fontes renováveis novas opções de embalagens biodegradáveis, sejam elas ativas, inteligentes ou blendas. Há mais de 13 anos, novas embalagens para alimentos têm sido alvo de diversas pesquisas no Laboratório de Embalagens do Departamento de Ciência dos Alimentos (DCA). Para a professora Soraia Vilela Borges, no futuro as embalagens deverão ser as "blendas ou compósitos ativos e inteligentes", ou seja, embalagens que trazem consigo diversas funções e materiais com propriedades antimicrobianas e resistência térmica, por exemplo.

As pesquisas com embalagens no DCA visam atender às demandas de produtos cárneos, derivados do leite e frutas, considerados alimentos mais perecíveis. "Esses produtos requerem embalagens convencionais mais caras, impermeáveis; então, se colocarmos um filme contendo substâncias livres ou encapsuladas, um sachê no interior da embalagem que tenha propriedades antimicrobiana e antioxidante, por exemplo, é possível diminuir o custo daquela embalagem que vai por cima e aumentar a vida útil daquele produto, garantindo também sua segurança nutricional", explica Soraia. A professora Marali Vilela Dias, que coordena juntamente com a professora Soraia o laboratório, ressalta que os estudos utilizam também a nanotecnologia. "A incorporação dessas nanopartículas contribui para reforçar esses materiais, melhorando suas propriedades e colaborando também para deixar essas embalagens mais eficientes em suas funções ativas ou inteligentes."

Uma das pesquisas desenvolvidas atualmente no DCA com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – Fapemig, desenvolve uma embalagem que utiliza a casca de tomate para tornar a embalagem antioxidante. "O objetivo deste trabalho é o reaproveitamento da casca de tomate, que é um resíduo da produção de molhos de tomate para a obtenção de um filme biodegradável e antioxidante. 

A casca de tomate foi adicionada ao amido de mandioca e as embalagens foram obtidas pelo processo de extrusão", explica a doutoranda Laura Fonseca. A casca de tomate é rica em licopeno, um poderoso antioxidante responsável pela coloração avermelhada do tomate. "Nos testes iniciais, observamos que o filme com a casca de tomate obteve uma ação antioxidante muito boa e agora vamos aplicar essa embalagem em castanhas. " 

As castanhas possuem problemas com a oxidação lipídica, que provoca a deterioração das propriedades do alimento (causando o chamado ranço). De acordo com Laura, o próximo passo da pesquisa é o teste da embalagem nas castanhas, para verificar o tempo de armazenamento e a ação antioxidante da casca do tomate.

Fonte: Ufla

Clique AQUI e comente no facebook do Jornal de Lavras

 
www.jornaldelavras.com.br
A informação a um click de você
#jornaldelavras Eduardo Cicarelli Sabrina Cicareli

Leia também:

Homem morreu afogado no rio Grande, em Ribeirão Vermelho Justiça condena empresa por morte de peixes em 2016 na Usina do Funil
   
Acidente envolvendo moto e carro deixou motociclista gravemente ferido em Lavras Lavras não terá retorno das aulas no dia 5 de outubro
   
Minas Consciente: Lavras retrocederá para a Onda Amarela Termina dia 30 o prazo para negociar débitos junto à Cemig sem juros
   
Trânsito na Ponte de Ferro, entre Ijaci e Itumirim, foi liberado nesta quarta-feira Governo Estadual anuncia início do retorno das aulas presenciais em Minas Gerais
.

Flashes de Notícias

.  

Blog Sabrina Cicareli:

Decoração da minha Kitnet Tudo de Bom no Os Mais Influentes Revista Elitte 2019
   
Tudo de Bom no Destaque Sales Pesquisa Lavras 2019 Série Viajadamente no Chile - Parte 7 - Valle Nevado
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 6 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 5 - Tour em Santiago
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 4 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 3 - Tour em Santiago
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 2 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 1 - Tour por Santiago
   

.

 

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras