Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


cotidiano /


Publicada em: 14/03/2019 23:58 - Atualizada em: 15/03/2019 12:31
Manifestantes se reúnem em Lavras na data que marca um ano da morte de Marielle - veja vídeo
Os manifestantes em todo o Brasil e no exterior cobram a punição dos responsáveis pela morte da vereadora e de seu motorista

Um grupo de pessoas realizou uma manifestação para cobrar punição para os executores e mandantes da morte de Marielle e Anderson Pedro Borges. Vídeo e fotos: Ricardo Silva

 

  Jornal de Lavras:  (35) 9 9925.5481    @jornaldelavras     @jornaldelavras    @jlavras    

Há exatamente um ano, eram assassinados no Rio de Janeiro, no Estácio, região central da cidade, a vereadora do PSOL Marielle Franco e o seu motorista Anderson Gomes. Hoje, um ano depois, foi realizada em muitas cidades e em vários países, uma manifestação para cobrar justiça e punir os executores e mandantes do crime.

Em Lavras um grupo de estudantes, representantes de partidos políticos e de sindicatos, se reuniu na praça Augusto Silva para manifestar, não apenas em favor de Marielle Franco e Anderson Gomes, mas em favor dos milhares de "Marielles" e "Andersons" que existem no Brasil. Segundo a Comissão da Paz, ligada a Anistia Internacional, uma Organização Não Governamental (ONG) e o Viva Rio, apenas 8% dos crimes violentos são punidos no Brasil, os demais caem no esquecimento, mas não para as famílias daqueles que se foram.

Clique no play para assistir. Vídeo: Ricardo Silva

Quem era Marielle Franco

 A vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) foi morta a tiros na noite de quarta-feira, dia 14 de março de 2018 no Estácio, na região central do Rio de Janeiro. Ela estava de carro, voltando de um evento na região da Lapa, quando um veículo parou ao lado do seu carro e dois homens efetuaram disparos e fugiram. O motorista que acompanhava a vereadora, Anderson Pedro Gomes, também morreu.

Marielle ficou famosa por denuncias da atuação da polícia do Rio de Janeiro. Alguns meses antes de sua morte, Marielle denunciou em suas redes sociais uma ação de policiais militares do 41º BPM (Irajá) na Favela de Acari. Segundo ela, moradores reclamaram da truculência dos policiais durante a abordagem na favela.  De acordo a denúncia da vereadora, os policiais militares invadiram casas, fotografaram suas identidades e aterrorizaram populares no entorno.

No dia 28 de fevereiro, pouco mais de duas semanas antes de sua morte, a vereadora anunciou que havia sido escolhida para ser relatora da Comissão que iria acompanhar a intervenção federal no Rio de Janeiro.

Clique AQUI e comente no facebook do Jornal de Lavras

 
www.jornaldelavras.com.br 
A informação a um click de você
#jornaldelavras Eduardo Cicarelli Sabrina Cicareli

Leia também:

Comerciante de Lavras foi conduzida até a delegacia por vender bebida alcoólica para menores Parecer favorável da CCJ pode resultar em devolução de verbas para o Executivo
   
Dois lavrenses serão agraciados com a Medalha "Juscelino Kubistchek" Homem foi preso acusado de abusar sexualmente de crianças nas dependências do Lavras Tênis Clube
   
Pedestre é atingido no rosto por linha chilena em bairro de Lavras Campus 2 do Unilavras foi inaugurado em Lavras - veja fotos
.

Flashes de Notícias:

Projeto Influencers na Net nas escolas municipais Queijo lavrense premiado no Concurso Mundial de Queijos
   
Briga com facada no Centro de Lavras 1ª Edição do Fest Vai
.  

Blog Sabrina Cicareli:

Série Viajadamente no Peru - Parte 6 - Lima Série Viajadamente no Peru - Parte 5 - Machu Picchu
   
Série Viajadamente no Peru - Parte 4 - Machu Picchu Série Viajadamente no Peru - Parte 3 - Cusco
   
Série Viajadamente no Peru - Parte 2 - Cusco Série Viajadamente no Peru - Parte 1 - Cusco

.

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras