Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


cotidiano / Economia /


Publicada em: 23/05/2018 08:16 - Atualizada em: 23/05/2018 12:12
Faemg emite nota repudiando reajuste da energia elétrica
A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais afirma que o aumento vai gerar queda na produção e o aumento no preço dos alimentos

Roberto Simões, presidente da Faemg e que assinou a nota para a imprensa. Foto: Rafael Mota

 

 

  Jornal de Lavras:  (35) 9 9925.5481    @jornaldelavras     @jornaldelavras    @jlavras    

A Faemg (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), em nota distribuída à imprensa, repudiou veementemente o reajuste na tarifa de energia elétrica da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais), que passará a valer em menos de uma semana, dia 28, próxima segunda-feira. De acordo com a nota, o reajuste vai causar forte impacto nos custos da agropecuária mineira. As consequências, segundo a nota, serão a queda na produção e o aumento no preço dos alimentos.

O percentual de revisão da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) ficou em média, em 23,19% para os consumidores dos 774 municípios da área de concessão da distribuidora. Também haverá, simultaneamente, aumento da arrecadação do ICMS (Imposto de Consumo de Mercadoria e Serviço)e do PIS/Cofins (Programa de Integração Social/ Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social).

De acordo com a nota, na Cemig, cerca de 10% dos consumidores são rurais – produtores, aquicultores, irrigantes, agroindústrias na área rural – e classificados em "B2" (atendidos em baixa tensão) e "A4" (atendidos em média tensão). Os percentuais incidentes na tarifa serão de 18,76% para o "B2" e de 23,35% para o "A4".

Ainda segundo a nota da Faemg, o aumento da tarifa de energia afeta diretamente o setor produtivo, que é cada vez mais eletrodependente, especialmente nos últimos anos, quando houve investimentos elevados em tecnologia, automatização, industrialização no meio rural. A isto se somam as necessidades de irrigação, aquicultura, criação de aves e suínos e produção de leite, que utilizam energia intensivamente. 

A nota, que foi assinada por Roberto Simões, presidente da Faemg, é finalizada assim: "A Faemg lamenta profundamente que o agronegócio, que tanto tem contribuído para o desenvolvimento do país, seja punido com este aumento abusivo".

Clique AQUI e comente no facebook do Jornal de Lavras

 
www.jornaldelavras.com.br 
A informação a um click de você
#jornaldelavras Eduardo Cicarelli Sabrina Cicareli

Leia também:

Coronavírus: caso suspeito de Lavras foi descartado pela Fiocruz Cosplay Lavras reunirá fãs da cultura geek no próximo domingo (15)
   
Atropelamentos na rodovia Fernão Dias deixam uma pessoa morta e três feridas Preço do álcool dispara no comércio de Lavras após confirmações de coronavírus no Brasil
   
Temporal derrubou árvore na principal praça de Lavras Polícia procura por motocicleta que foi furtada em Lavras
.

Flashes de Notícias:

.
. Inauguração da nova unidade do Laboratório Santa Cecília
.  
 Caso suspeito de Coronavírus em Lavras Bloco Pão Moiado no Carnaval de Lavras
   
Inauguração do Yummy Smart Food Enchente na Zona Norte de Lavras
.  

Blog Sabrina Cicareli:

.
. Série Tudo de Bom no Yummy Smart Food - Parte 3
.  
Série Tudo de Bom no Yummy Smart Food - Parte 2 Série Tudo de Bom no Yummy Smart Food - Parte 1
   
Série Viajadamente no Chile - Parte 6 - Tour em Santiago Série Viajadamente no Chile - Parte 5 - Tour em Santiago
   

.

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras