Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


cotidiano / Economia /


Publicada em: 23/05/2018 08:16 - Atualizada em: 23/05/2018 12:12
Faemg emite nota repudiando reajuste da energia elétrica
A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais afirma que o aumento vai gerar queda na produção e o aumento no preço dos alimentos

Roberto Simões, presidente da Faemg e que assinou a nota para a imprensa. Foto: Rafael Mota

 

.


Dê play e conheça o Toledo Residencial


  Jornal de Lavras:  (35) 9 9925.5481    @jornaldelavras     @jornaldelavras    @jlavras    

A Faemg (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), em nota distribuída à imprensa, repudiou veementemente o reajuste na tarifa de energia elétrica da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais), que passará a valer em menos de uma semana, dia 28, próxima segunda-feira. De acordo com a nota, o reajuste vai causar forte impacto nos custos da agropecuária mineira. As consequências, segundo a nota, serão a queda na produção e o aumento no preço dos alimentos.

O percentual de revisão da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) ficou em média, em 23,19% para os consumidores dos 774 municípios da área de concessão da distribuidora. Também haverá, simultaneamente, aumento da arrecadação do ICMS (Imposto de Consumo de Mercadoria e Serviço)e do PIS/Cofins (Programa de Integração Social/ Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social).

De acordo com a nota, na Cemig, cerca de 10% dos consumidores são rurais – produtores, aquicultores, irrigantes, agroindústrias na área rural – e classificados em "B2" (atendidos em baixa tensão) e "A4" (atendidos em média tensão). Os percentuais incidentes na tarifa serão de 18,76% para o "B2" e de 23,35% para o "A4".

Ainda segundo a nota da Faemg, o aumento da tarifa de energia afeta diretamente o setor produtivo, que é cada vez mais eletrodependente, especialmente nos últimos anos, quando houve investimentos elevados em tecnologia, automatização, industrialização no meio rural. A isto se somam as necessidades de irrigação, aquicultura, criação de aves e suínos e produção de leite, que utilizam energia intensivamente. 

A nota, que foi assinada por Roberto Simões, presidente da Faemg, é finalizada assim: "A Faemg lamenta profundamente que o agronegócio, que tanto tem contribuído para o desenvolvimento do país, seja punido com este aumento abusivo".

 
www.jornaldelavras.com.br
A informação a um click de você 
 

Leia também:

Ufla poderá armazenar vacinas do Governo do Estado em seus Ultrafreezers Decreto da Prefeitura de Lavras prevê uso obrigatório de máscara também em vias públicas
   
PM de Lavras aborda homem que portava réplica de arma de fogo na cintura Prefeitura de Lavras publica decreto com menos restrições que a Onda Vermelha do Minas Consciente
   
CDL Lavras informa que medidas estão sendo tomadas pela entidade para tentar evitar o fechamento do comércio - veja vídeo Comerciantes de Lavras manifestaram contra aplicação da fase restritiva da Onda Vermelha
   
Rua de Luminárias com 9 faixas de pedestres virou meme nas redes sociais Covid-19: Associação Médica de Lavras manifesta através de nota oficial
   
LabCovid e Prefeitura de Ingaí realizam coleta para exame de Covid-19 Começou a campanha de vacinação contra a Covid-19 em Lavras
   
.

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras