Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


cotidiano / Economia /


Publicada em: 23/05/2018 08:16 - Atualizada em: 23/05/2018 12:12
Faemg emite nota repudiando reajuste da energia elétrica
A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais afirma que o aumento vai gerar queda na produção e o aumento no preço dos alimentos

Roberto Simões, presidente da Faemg e que assinou a nota para a imprensa. Foto: Rafael Mota

 

 

  Jornal de Lavras:  (35) 9 9925.5481    @jornaldelavras     @jornaldelavras    @jlavras    

A Faemg (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), em nota distribuída à imprensa, repudiou veementemente o reajuste na tarifa de energia elétrica da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais), que passará a valer em menos de uma semana, dia 28, próxima segunda-feira. De acordo com a nota, o reajuste vai causar forte impacto nos custos da agropecuária mineira. As consequências, segundo a nota, serão a queda na produção e o aumento no preço dos alimentos.

O percentual de revisão da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) ficou em média, em 23,19% para os consumidores dos 774 municípios da área de concessão da distribuidora. Também haverá, simultaneamente, aumento da arrecadação do ICMS (Imposto de Consumo de Mercadoria e Serviço)e do PIS/Cofins (Programa de Integração Social/ Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social).

De acordo com a nota, na Cemig, cerca de 10% dos consumidores são rurais – produtores, aquicultores, irrigantes, agroindústrias na área rural – e classificados em "B2" (atendidos em baixa tensão) e "A4" (atendidos em média tensão). Os percentuais incidentes na tarifa serão de 18,76% para o "B2" e de 23,35% para o "A4".

Ainda segundo a nota da Faemg, o aumento da tarifa de energia afeta diretamente o setor produtivo, que é cada vez mais eletrodependente, especialmente nos últimos anos, quando houve investimentos elevados em tecnologia, automatização, industrialização no meio rural. A isto se somam as necessidades de irrigação, aquicultura, criação de aves e suínos e produção de leite, que utilizam energia intensivamente. 

A nota, que foi assinada por Roberto Simões, presidente da Faemg, é finalizada assim: "A Faemg lamenta profundamente que o agronegócio, que tanto tem contribuído para o desenvolvimento do país, seja punido com este aumento abusivo".

Clique AQUI e comente no facebook do Jornal de Lavras

 
www.jornaldelavras.com.br 
A informação a um click de você
#jornaldelavras Eduardo Cicarelli Sabrina Cicareli

Leia também:

MEC desbloqueia 47,2% do orçamento da Ufla contingenciado no início do ano Bancos leiloam mais de 200 imóveis com descontos de até 67%. Tem imóvel em Lavras
   
Alunos de Lavras foram premiados na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica Músico lavrense integra lista da premiação Focus Brasil Awards Milão
   
Vendas do comércio varejista apresentam crescimento pelo terceiro mês consecutivo PM prende quatro integrantes do grupo que explodiu a Caixa em Nepomuceno
.

Flashes de Notícias:

Descoberta de que jovem assassinada estava grávida - entrevista com a delegada Projeto de regulamentação do serviço de Mototaxista
   
Projeto Influencers na Net nas escolas municipais Queijo lavrense premiado no Concurso Mundial de Queijos
.  

Blog Sabrina Cicareli:

Série Viajadamente no Peru - Parte 6 - Lima Série Viajadamente no Peru - Parte 5 - Machu Picchu
   
Série Viajadamente no Peru - Parte 4 - Machu Picchu Série Viajadamente no Peru - Parte 3 - Cusco
   
Série Viajadamente no Peru - Parte 2 - Cusco Série Viajadamente no Peru - Parte 1 - Cusco

.

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras