Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


destaque / História /


Publicada em: 10/02/2018 16:07 - Atualizada em: 11/02/2018 17:57
Casa da Cultura de Lavras presta homenagem a Rafael Salustiano, o "Faé"
Ele foi professor, folião da Unidos de Nova Lavras e da Estação Primeira de Mangueira, no Rio de Janeiro

Rafael Salustiano Filho era uma pessoa educada, alegre e sempre tinha um sorriso no rosto, sua morte deixou enlutada não apenas a Unidos de Nova Lavas, mas toda a comunidade lavrense. Foto: Gentilmente cedida por Geraldo Fernandes (Dinho) 

 

 

  Jornal de Lavras:  (35) 9 9925.5481    @jornaldelavras     @jornaldelavras    @jlavras    

No dia 20 de janeiro de 1953, era fundada a Escola de Samba "Unidos de Nova Lavras" por Ismael Silva, Geraldo Theodoro, José Pedro e João Mattos. Esta Escola de Samba sempre se destacou pela qualidade de sua bateria e pelos seus sambas-enredo que sempre exaltou Lavras e sua história.

Vários foliões passaram por aquela agremiação e já partiram, como José da Cruz, o popular "Mãe Chica", que faleceu no dia 3 de abril de 1981. "Mãe Chica", além de ter sido folião da mais antiga escola de samba de Lavras, foi também jogador de futebol do "Lavras Sport Club".

Outro, foi o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, subseção de Lavras, Sebastião Brasileiro de Castro, que foi presidente da Unidos de Nova Lavras. Brasileiro também foi jogador de futebol, vestiu a camisa da Associação Olímpica de Lavras. Brasileiro nos deixou no dia 3 de outubro de 1987.

Na década de 90, a Unidos de Nova Lavras perdeu uma grande figura de expressão: Alda Leite Whinter, destaque da escola e membro da diretoria.

No dia 5 de novembro de 2014, calaram-se os tamborins e o ronco da cuíca; naquele dia, as passistas perderam a graça e deixaram de sambar; o samba perdeu o tom: morreu um dos maiores foliões da cidade: Rafael Salustiano Filho, da Unidos de Nova Lavras. Agora, a Secretaria Municipal de Esporte, Lazer, Turismo e Cultura (Selt) vai prestar uma homenagem a um dos bairros mais conhecidos de Lavras, o bairro de Nova Lavras, homenageando o Grêmio Recreativo Unidos de Nova Lavras, através deste de seus mais conhecidos foliões: o professor Rafael Salustiano Filho, o "Faé", como era conhecido em Lavras o educador. Será realizada na Casa da Cultura uma exposição sobre a vida e a obra dele.

O professor Faé era filho de Rafael Salustiano e Maria Teodora Nunes Salustiano, Faé nasceu em 8 de abril de 1942, na cidade de Lavras. Era de uma família de seis filhos, Faé era irmão de: Ikson, Thereza, Haroldo, Antônio, Edson.

Todos foram educados pelo casal Maria e Rafael, que dividiam o tempo entre o serviço e a educação dos filhos. Rafael e Maria trabalhavam na escola municipal "Paulo Menicucci", isso na época em que a escola era conhecida como Grupo Escolar. Rafael era porteiro daquele educandário e Maria, auxiliar de serviços gerais.

Mesmo com poucos recursos, o casal se preocupou em educar os filhos, deixando com eles o bem mais precioso que um pai e uma mãe pode deixar de herança: a educação.

Rafael Salustiano Filho, o Faé, formou-se em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Lavras, a antiga FAFI, hoje Centro Universitário de Lavras (Unilavras). Faé dedicou sua vida à educação, foi professor em diversos educandários de Lavras. Ele dividia o tempo com uma de suas paixões: a cultura. Foi um dos fundadores do Movimento da Consciência Negra Lavrense, a Consnel, queria resgatar a história dos negros, como a de José Luiz de Mesquita, a maior expressão negra de Lavras e da região, o homem que alfabetizou mais de 5 mil adultos.

Faé gostava também de carnaval e em Lavras atuou ativamente na escola de samba Unidos de Nova Lavras, mas durante a festa de Momo, dividia seu tempo com outra paixão: Estação Primeira de Mangueira, no Rio de Janeiro, onde desfilou por dezessete anos. Faé vestiu as cores verde e rosa da Mangueira e da Unidos de Nova Lavras até o ano de sua morte: 2014, ano em que ele perdeu sua mãe e um grande amigo, o cabeleireiro das estrelas Jaques Janine.

Quem quiser conhecer um pouco da história deste educador, folião e acima de tudo, lavrense apaixonado por sua terra natal, deve visitar exposição sobre Rafael Salustiano Filho, o inesquecível Faé.

A exposição foi organizada pela Selt, através de sua Equipe de Memória e Patrimônio: o historiador Giovani Nèmeth e o memorialista Renato Torres Libeck, por sugestão do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Cruzeiro do Sul, com o apoio da família Salustiano. A exposição, idealizada por João Paulo Santos, coordenador do CRAS Cruzeiro do Sul, começou ontem, sexta-feira, dia 9, e se estenderá até o dia primeiro de março.

Clique AQUI e comente no facebook do Jornal de Lavras

 
 
www.jornaldelavras.com.br
A informação a um click de você
#jornaldelavras Eduardo Cicarelli Sabrina Cicareli

Leia também:

Programa "Agita Vale dos Ipês" chega à final em Lavras PM prende ladrão que furtou carro de idoso em Lavras
   
PM encontra droga escondida numa mata em Lavras Revista Elitte realizará segunda edição do Baile de Máscaras
   
Morreu aos 101 anos, o sargento Corsino, o mais velho militar do 8º Batalhão de Lavras Ana Luiza Rodrigues é a representante de Lavras no Miss Minas Gerais Be Emotion 2019
.

Flashes:

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Caixa Postal: 98 - CEP: 37.200-000 - Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras