Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


destaque / História /


Publicada em: 08/01/2015 23:45 - Atualizada em: 09/01/2015 10:16
Lavras do "rela", do "redondo" e de Elvis Presley, que se estivesse vivo estaria completando 80 anos
Como era a juventude de Lavras na época de Elvis Presley, que se estivesse vivo estaria completando hoje 80 anos

Imagem extraída da Imprensa do Rock

 

WhatsApp do Jornal de Lavras: (35) 9925-5481

Se estivesse vivo, Elvis Presley, que morreu em 1977, estaria completando 80 anos hoje, dia 8 de janeiro. Elvis foi um fenômeno, no auge de seu sucesso não existia internet, televisão era uma raridade e as revistas eram quinzenais, mas era ele quem ditava moda entre os jovens. Quem viveu os anos 50 e 60 sabe muito bem disso.

Era comum ver passar pelas ruas de Lavras jovens com topetes volumosos, calçando botas e pilotanto lambretas, o veículo com o qual Elvis se apresentava nos filmes. Na principal praça da cidade, a Augusto Silva, no sábado e domingo, todos jovens da cidade se encontravam naquele espaço público para passear e estrear roupas novas.

No centro da praça, no entorno do lago, os rapazes em linha de três ou quatro desfilavam no sentido horário e, no sentido inverso, as meninas, todas, também em linha e de braços dados com as colegas. Ao passar uns pelos outros, os olhares se cruzavam e depois de algum tempo, nascia um sorriso discreto: começava aí um ritual que durava cerca de um mês, até que tinha o primeiro contato, um encontro que certamente era marcado na fila do Cine Brasil, na primeira sessão, que começava às 18h30, para assistir, é claro, um filme de Elvis Presley.

Além do "redondo", como era chamado o local onde os jovens da época trocavam olhares, existia também na praça o "rela". O "rela" era o passeio da praça que fica embaixo da copa da tipuana, naquele local os rapazes ficavam de pé dos dois lados do passeio e as meninas desfilavam de um lado para outro em fila de três jovens. Elas desfilavam do lado da praça e quando chegavam no final do passeio, em frente ao Banco do Brasil, viravam e voltavam no lado oposto até o ponto de táxis, em frente ao Vitória Palace. As meninas se cruzavam em filas de três e os rapazes observavam e teciam comentários inocentes.

Os rapazes se exibiam na praça com golas olímpicas e grandes topetes, bem ao estilo Elvis. Os mais abastados ficavam sentados no banco de sua lambreta para impressionar a moça que desfilava a sua frente.

Este programa era realizado pelos jovens todos os sábados e domingos. Aos sábados os passeios dos jovens terminavam por volta de 22h e, aos domingos, impreterivelmente às 9h da noite, tanto que foi aí que surgiu a expressão "soltaram o leão das 9". Expressão que só aqueles que têm mais de 60 anos e viveram as décadas em que Elvis Presley triunfava, conhece e sabe o que significa.

Quando um jovem ou uma jovem faltava ao "programa semanal", de passear pela praça, certamente tinha outro compromisso importante, como as famosas "brincadeiras dançantes", que eram realizadas nas residências e organizadas por moças da época, tudo sob a vigilância dos pais. Era status ser convidado para uma festa dessas. As jovens ficavam na sala da casa e os rapazes iam chegando acanhados e eram recebidos pela anfitriã.

Serviam-se salgadinhos e refrigerantes, como Grapette, Crush, Mirinda e guaraná Champagne Antártica, Brahma e o mais popular deles: Guaraná 507. Cerveja nem pensar, a festa era realizada por uma "moça de família" e bebidas alcoólicas não tinha espaço nestas festas.

Quando todos já estavam posicionados, a dona da casa - no caso a jovem organizadora do evento - corria até a radiola e colocava um long play, do Elvis Presley, claro. Love Me Tender era obrigatório, a música que mais tocava nas "brincadeiras dançantes" da época. 

Lavras daquela época era mais romântica, mais segura, mais inocente. Quem viveu esta época tem saudades, por isso, relembrar Elvis Presley é relembrar os bons tempos de uma juventude saudável, que curtia lambretas, topetes, sapatos bem engraxados e brilhantes, grandes costeletas, jaqueta de couro e outros, que o rei do rock ditava.  

Jornalista Eduardo Cicarelli (Jornal de Lavras)   Clique aqui e comente no Facebook do Jornal de Lavras

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras